Curiosidades: Hans Peter Larsen (Pedro Larsen) assassinato, suicído ou morte natural?

Caso alguém da família Larsen possa dar novos dados basta me comunicar pelo meu endereço eletrônico.


Há tempos recebi do sr. Roald Andersen, direto da Dinamarca, o relato que se segue.
A história se passa entre 1887 e 1919.

Minha esposa e eu estamos pesquisando nossas famílias e estamos buscando informações sobre o bisavô e bisavó dela, que viveram em Campinas há alguns anos atrás.

O que sabemos é o seguinte: O bisavô de minha esposa, Hans Peter Larsen (Pedro Larsen), nascido em 27 de outubro de 1868, em Damsholte Parish, Moen, Condado de Praestoe, Dinamarca. Ele deixou a Dinamarca em torno de 16 de fevereiro de 1887 para São Paulo de navio. Ele foi, então, não casado.

A bisavó de minha esposa, Laurine Petrine Larsen (Laurinda Larsen), nascida em 3 de novembro de 1871, na Freguesia Fuglslev, Condado de Randers, Dinamarca e era a única filha e a mais velha de Peter Jens Larsen (ou Lassen) e da esposa Ane Cathrine Larsen. Ela tinha três irmãos mais novos Johannes, Laurits e Marcus. Seu pai Peter Jens Larsen nasceu em 27 de janeiro de 1844 em Thiset Parish, Condado de Aarhus, Dinamarca. Sua mãe Ane Cathrine Larsen nasceu em torno de 1849 em algum lugar da Dinamarca. Seu irmão Johannes Larsen nasceu 1878 ou 1879. Seu irmão Laurits Larsen nasceu 1880 ou 1881. Seu irmão Marcus Larsen nasceu em 7 de maio de 1883 em Freguesia Tirstrup, Condado de Randers, Dinamarca.

Os pais de Laurine (ou Laurinda como aparece em documento da época).

Toda a família deixou a Dinamarca por volta de 22 de fevereiro 1887 para São Paulo em um navio.

É dito na família, que só os pais e os três filhos deixaram a Dinamarca, naquele momento, porque a filha era muito jovem para viajar, e só temos sido capazes de encontrar documentação para a partida dos pais e os filhos, mas minha suposição é de que a filha viajou junto com o resto da família, como ela era a mais velha das crianças e deve ter ido com cerca de 16 anos de idade.

Onde eles viveram após a chegada em São Paulo, não sabemos. Sabemos, que Hans Peter Larsen e Laurine Petrine Larsen eram casados e viveram por alguns na Rua Ferreira Penteado no. 91 em Campinas, onde Hans Peter Larsen eventualmente tiveram comércio (serralheria).

Documento da época comprovam que eles residiram à rua Ferreira Penteado no. 91.
Algumas pessoas da família também dizem que tinha uma plantação de café.
Durante seu casamento eles tiveram 6 filhos: Roberto Victor Larsen, filho, nascido em 12 de setembro de 1891, em Campinas (avô de minha esposa); Anna Dorothea Larsen, filha, nascida em 1893, em Campinas; Augusta Joanna Larsen, filha, nascida em 23 de agosto de 1896, em Campinas; Eleonora (ou Elisnora) Amanda Larsen, filha, nascida em 1898, em Campinas; Pedro Eduardo Larsen, filho, nascido em 13 de novembro de 1900 em Campinas e Dorthea Bernadine Larsen, filha, nascida em 7 de outubro de 1904.

Nas três fotos abaixo; 3 de seu 6 filhos: Roberto, Pedro e Anna.


De acordo com a certidão de óbito emitido em 1910 pelo Doutor Clemente de Toffoli em Campinas, Hans Peter Larsen, que morreu em 11 de novembro de 1908 de hemorragia cerebral, mas na família há duas outras histórias. Alguns dizem, que se suicidou e outros dizem que ele foi morto por alguns homens, que algemaram-no na loja, arrastando-o para fora e na rua, dispararam nele.

Acima e abaixo um documento contando a morte e sua suposta causa. Aqui aparecendo o nome do médico Clemente de Toffoli e a possível causa mortis.

Nos finais dos anos de 1980 um neto, Hans Peter Larsen, viajou para Campinas, e de acordo com aquilo que foi dito, ele encontrou o túmulo e falou com algumas pessoas mais velhas, que recordaram do incidente e que tinham frequentado a sepultura dele, isto por ser uma pessoa simpática e amistosa. Ele também encontrou a casa da Rua Ferreira Penteado, número 91.

Infelizmente, este neto morreu pouco depois de retornar à Dinamarca. É dito, que após a morte de Hans Peter Larsen, sua viúva e os filhos “fugiram” de volta para a Dinamarca. Nós temos um bilhete do navio “Petrópolis”, de Santos para Hamburgo, na Alemanha, emitido em 14 de maio de 1909 em nome do filho mais novo, Pedro Eduardo Larsen, e nós entendemos que o resto da família viajou com ele. É dito, que Laurine Petrine Larsen trouxe as algemas, que tinham sido usadas no marido, para a Dinamarca, mas infelizmente elas desapareceram.
Ela pretendia voltar a Campinas depois de um tempo para vender a sua propriedade, mas a primeira guerra mundial estourou e postergou a viagem. Mas, segundo seu passaporte; ela deixou a Dinamarca em 1 de março de 1919 para viajar à Campinas. Ela conseguiu vender todos os seus bens, mas de acordo com a família, o Governo do Brasil não permitira que ela tirasse o dinheiro para fora do país, de modo que ela deixou o país novamente de mãos vazias.

Acima Laurine (ou Laurinda) em foto do passaporte de 1919.
O passaporte dela tem a chancela do Consulado Geral Real Dinamarquês no Rio de Janeiro, relativo a 16 de abril de 1919, e pela República dos Estados Unidos do Brasil, no Rio de Janeiro, relativa à 29 de abril de 1919 e pelo Consulado Geral Britânico no Rio de Janeiro “Liberação para Reino Unido (rota para a Dinamarca)” de 30 de abril 1919.

É dito que ela deixou o Brasil por volta de 23 de maio de 1919 a bordo do navio Inglês chamado “Dresna”. Quando ela e as crianças deixaram Campinas, seus três irmãos ficaram.
De acordo com um dos filhos, o irmão mais velho, Johannes Larsen, vazia varetas e guardas-chuvas. Ele nunca se casou e já havia morrido quando Laurine retornou em 1919. O segundo irmão Laurits (chamado Lau), foi um ferreiro e casado uma garota muito bonita nativa chamado Tervina, e eles tinham pelo menos 2 filhos.
O terceiro irmão, Marcus Larsen teve várias ocupações, entre eles foi um circo. Ele casou com uma garota espanhola chamada Maria e tiveram pelo menos uma filha. Maria e seus pais tinham uma fábrica que fazia sacas de café. Essas são as informações que estamos à procura de:
1. Onde obter a documentação do casamento entre Hans Peter Larsen e Laurine Petrine Larsen (cópia da certidão de casamento); de preferência um endereço de e-mail ou um site?
2. Onde obter cópias dos certificados de nascimento (certificados de batismo) para os seus filhos?
3. Onde encontrar documentação para a ocupação de Hans Peter Larsen e os irmãos de Laurine Petrine Larsen?
4. Onde encontrar documentação de onde viviam?
5. Onde encontrar decumentação da partida de Laurine Petrine Larsen e de seus filhos?
6. Existe a possibilidade, que a história do assassinato de Hans Peter Larsen seja verdadeira? Onde obter a documentação ou certificar-se de refutar essa história?
7. Onde encontrar certificado de casamento e de morte dos irmãos de Laurine Petrine Larsen?
8. Será que talvez seja possível encontrar vestígios de alguns descendentes dos irmãos de Laurine Petrine Larsens? E se assim for, como fazer isso?
9. Como encontrar documentação da chegada e partida do Laurine Petrine Larsen em 1919?

Nota fiscal da serralheria apontando o número 76 da rua Ferreira Penteado. Abaixo o local hoje, abriga um hotel.

Abaixo a casa onde aconteceu a possível tragédia. Na foto colorida desta data mostrando que a casa já não existe. Porém os paralelepípedos ainda existem, escondem e foram testemunhas dos fatos que ali ocorreram a quase cem anos.


Local acima dos fatos, se localiza no Centro de Campinas e é um local conhecido pela prática de prostituição das mulheres e extremamente perigoso.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: